27 de mar de 2011

Era uma vez...


Era março de 1957 quando John Lennon criou sua primeira banda, composta de seus colegas da Quarry Bank School, a The Black Jacks, que depois passou a chamar-se The Quarrymen (em homenagem à escola). A banda apresentou-se numa festa da igreja de St. Peter naquele ano, foi quando Paul McCartney os viu pela primeira vez e pediu a Ivan Vaughan, amigo de John Lennon, que os apresentasse. Assim Paul foi convidado a entrar na banda. Em 1958 foi a vez de George Harrison juntar-se à banda, apresentado por Paul que o teria conhecido dentro de um ônibus, ao acaso. Em 1960 Stuart Stucliffe assumiu o baixo. Foi então a vez do nome da banda mudar e depois de várias alternativas “The Beatles”(que seria uma mistura de beat, batida e Beetles, nome sugerido por Stucliffe como homenagem ao “The Crickets”) fixou-se como a melhor escolha.
Após uma turnê pela escócia com Jhonny Gentle, os Beatles partiram para Hamburgo com Pete Best como baterista. Na primeira estada em Hamburgo foram obrigados a se apresentar diariamente, por seis ou sete horas com um repertório composto basicamente de covers de do rock americano dos anos 50. Depois de quase um ano nesta rotina teve início uma série de deportações que mandou a banda de volta para Liverpool. Harrison foi o primeiro, deportado por ter mentido sua idade às autoridades alemãs. Depois foi a vez de Paul e Pete, por haverem acidentalmente incendiado o quarto que alugavam. John sem ter como fazer o show sozinho voltou a Liverpool com seus amigos, liso e desiludido. O único que ficou em Hamburgo foi Stucliffe, o qual apaixonou-se perdidamente pela alemã Astrid Kirchherr. É interessante que o corte que viria a se tornar uma marca dos Beatles foi uma imposição de Astrid a Stuart. O corte foi copiado pelos outros membros apos uma viagem de Stuart a Inglaterra.
Em 1961 os Beatles retornaram a Hamburgo, e Stucliffe à banda, para tocar no "Top Ten Club", onde conheceram Tony Sheridan que os convidou a participar, como banda de apoio, nas apresentações que faria na Alemanha, alem de uma série de outras gravações. Tony foi premiado com o disco de ouro pela vendagem do disco “Tony Sheridan and The Beatles”.
O grupo retornou a Liverpool e Sutcliffe mais uma vez permaneceu em Hamburgo, o que forçou McCartney assumir o baixo (ele até então tocava guitarra, assim como Lennon). De volta, o grupo, com relativa fama, realizou sua primeira aparição no The Cavern Club, onde ainda haveriam de se apresentar outras 291 vezes. Foi lá que Brian Epstein viu o grupo pela primeira e decidiu empresariá-los.
Epstein começou mudando a imagem do grupo: saíram as roupas de couro e entrou o figurino comportadinho que marcou esta primeira fase. O segundo passo foi encontrar uma gravadora para o grupo. A primeira tentativa foi com a Decca Records, cujo produtor musical Dick Rowe respondeu que bandas com guitarras estavam fora de moda. Posteriormente, Epstein fez contato com Ron White, executivo de marketing da EMI, o qual consultando os produtores musicais da EMI rejeitou a oferta de Brian. Insatisfeito com a resposta Epstein transformou os tapes que havia utilizado na demonstração da Decca Records num disco, que entregou a George Martin, o quarto produtor musical da EMI (responsável pela subsidiária Parlophone) e único que Ron White não havia consultado. Martin, interessou-se pelo som da banda e aceitou uma audição.
Paralelamente, enquanto Epstein lutava por um contrato de gravação, os Beatles voltaram a Hamburgo, onde descobriram que Stuart estava morto, e lá permaneceram cerca de dois meses. Nesta época fizeram a apresentação de abertura no The Star Club. Mesmo abalados com a morte de Stuart os Beatles continuaram a se apresentar em Hamburgo e Liverpool, ainda que sem muitas perspectivas profissionais.
Finalmente a banda assinou seu primeiro contrato de gravação, com duração de apenas um ano, com a EMI. Assim, em 1962, no Abbey Road Studios, aconteceu a primeira sessão de gravação dos Beatles com Martin. Musicalmente, o produtor não se impressionou (admitindo porém que os mesmos tinham talento, embora este ainda precisasse ser trabalhado), mas a personalidade dos integrantes lhe chamou a atenção.


Nesta época Martin reclamou do baterista Pete Best, que achava fraco, sugerindo que um outro baterista fosse utilizado para as gravações, mantendo-se Best apenas para apresentações. Mas eis que George, Paul e John, pensando no futuro da banda resolveram que seria melhor demiti-lo e pediram a Brian que o dispensasse. O grupo começou a cogitar alguns nomes para assumir a função de baterista, entre os quais estava Richard Starkey, conhecido como Ringo Starr, que já atuava como baterista da "Rory Storm and the Hurricanes". Então, após apenas três dias da demissão de Pete, Ringo já havia assumido seu posto. O público demorou algum tempo para aceitar a substituição, chegando em certa apresentação no Cavern a gritar "Pete forever, Ringo never!", e até mesmo a agredir Harrison.
A primeira gravação com a formação definitiva do grupo foi em 4 de setembro de 1962. Vale mencionar que Martin ainda "alugou" o baterista Andy White para a sessão de gravação subseqüente, do dia 11 de setembro, sendo esta a primeira e única sessão realizada com White. Desta sessão foi surgiu "Love Me Do" e "P.S. I Love You", lançadas primeiro como singles, e posteriormente incluídas no primeiro álbum da banda (a canção “Love me do” alcançou o primeiro lugar na lista dos vinte melhores da revista Mersey Beat, em 18 de outubro do mesmo ano, e entrou na lista dos vinte compactos mais vendidos da revista Billboard, em 1 de dezembro). Já em novembro de 1962 a banda gravou "Please Please Me" que atingiu o primeiro lugar na Inglaterra no início do ano seguinte. Foi nesta época que a banda começou a aparecer em transmissões televisivas e começou a criar um certo efeito histérico nas fãs apelidado de "Beatlemania".


O álbum “Please please me” (1963) foi o primeiro álbum de Studio completo da banda. Antes eles tinham lançado dois singles, o primeiro com “Love me do” e “P.S. I Love you”, conforma visto acima, e o segundo com “Please please me” e “Ask me why”. As quatro musicas acabaram entrando no disco, assim como “I saw her standing there”, “Misery” e “There’s a place”, todas fruto da parceria Lenon/McCartney. Além destas originais o álbum ainda incluía 7 covers de músicas como “Twist and shout”, “Anna (go to him)” e “Boys”, heranças de seus repertórios tocados nos clubs de Hamburgo e Liverpool. Talvez por misturar tanto covers, singles e musicas compostas especificamente para o álbum o “Please please me” seja um pouco irregular. Digamos que escutando é fácil o que cover e o que é Lenon/McCartney.
A parte incrível é que a gravação do álbum, exceto pelas quatro faixas que já haviam sido gravadas para os singles, demorou um pouco menos de 10 horas! O resultado de tamanha rapidez na gravação é o ar autêntico e energético das faixas. A sensação é de que as mesmas foram gravadas ao vivo. Vale lembrar que “Twist and Shout”, talvez o maior sucesso deste disco no Brasil - por ter feito parte da trilha de “Curtindo a vida adoidado” ( Ferris Bueller’s Day Off) - , é apenas um cover da música do The Topnotes, que já havia sido regravada e feito muito sucesso com o The Isley Brothes.
A capa do álbum é uma foto tirada na escadaria da EMI, talvez por isto – por finalmente poderem subir na escadaria de uma gravadora depois de tantos percalços – eles estejam sorrindo tanto. Outro ponto importante: em 2003 Rolling Stone elegeu o álbum o 39° em seu ranking dos 500 melhores discos de todos os tempos!
Eu recomendo:
- Anna (go to him)
- Love me do
- Please please me
- Twist and Shout

P.S.: Gente eu sei que está um pouco longo, mas foi o menor que podia fazer. Leiam, pois Beatles é cultura! É obrigatório! Mas prometo diminuir ainda mais daqui pra frente XD. Minha idéia é apresentar um disco deles por semana e a história da época do disco. (isto segundo a padronização mundial do catálogo deles, pq na época as distribuidoras podiam colocar a capa que quisessem e mudar as faixas conforme lhes conviesse).
P.S. 2: Na segunda foto o baterista é Pete Best. O Ringo, como já explicado, não pegou a fase jaqueta de couro e topete da banda.

Um comentário:

Jujuba disse...

É impressionante como esses caras tem tantas, tantas, tantas músicas excelentes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...