24 de jul de 2011

Esse Xico Sá...

Esse texto do Xico Sá é tão bom, mas tão bom que eu coloquei ele inteirinho aqui. Se eu fosse a Luíza Brunet aceitava o pedido de casamento, mas antes pegava esse texto, mandava ele assinar, reconheicia em cartório e ele ia ter que cumprir o prometido para o resto da vida. Isso é que é declaração.
Tá vendo como homem sabe o que mulher gosta e precisa?

Pedindo Luíza Brunet em casamento

Querida Luíza, venho por meio desta pedir tua mão em casamento.
Que me desculpes por ser tão direto. É que sempre tenho a sensação de estar chegando atrasado nesses nobres momentos históricos, afinal de contas só agora, uns três dias depois, soube que estavas solteira e à procura de um novo amor, conforme li na Contigo.
Claro que não dei ouvidos à historia que estavas saindo com um magnata paulista. Prefiro não saber e seguir firmemente na minha proposta.
Luíza, não sou assim um barão do café, da soja, da usina, da bolsa, muito menos um jovem milionário das novas tecnologias.
Mas derramaria com gosto o meu suor, Luiza, para te dar casa, comida, roupa lavada, flores fora de hora e uns presentinhos honestos nas datas celebrativas.
Revelastes o desejo por alguém que a leve ao cinema, que comente sobre o filme, que faça passeios de mãos dadas.
Te levarei a sessões vespertinas, Luíza, e de lá sairemos, ainda com o sol por testemunha, para discutir a longevidade criativa do Woody Allen.
Sempre de mãos dadas, meu colosso, tu na parte de dentro da calçada, o lado que um homem de boa vontade deve conduzir a namorada, para proteger da ruindade do mundo e dos motoristas mal-educados.
Casa, comida, roupa lavada e alguns bilhetes de ponte áerea. Sei que tens tua vida, não precisas de um senhor que ajude, mas aceitas que é de bom grado e motivo de orgulho para um homem.
Trabalharei duro para isso, escreverei bula de remédio, press-release de sub-celebridade e biografias de madames da alta sociedade.
Sei que não lembras de mim, evidentemente, afinal de contas tomamos apenas um café em Paraty, durante a Flip, quando me vi metido em alumbramento de noviço.
Que cases comigo, Luiza, e terás massagens nos pés e no ego. Serei teu banco 24 horas de dengos e cafunés.
Tentarei adivinhar teus desejos e correr adiante deles para realiza-los, afinal de contas eis o papel de um homem ao lado de uma fêmea.
Te darei empadas de camarão bem quentinhas!
Te farei um picadinho à brasileira incrível. Com ovo pouché e tudo, que é um dos maiores desafios de um homem que se mete a cozinhar sem sabê-lo, só para mimar a sua amada.
Por ti, Luíza, canto e cumpro todos aqueles sambas de regeneração, sacas? Aquelas letras cujos adoráveis vagabundos prometem mudar de vida.
Que não penses muito, afinal de contas não sou lá um grande partido, mas que aceites, pois tentarei cumprir, qual um Hércules, os 12 trabalhos do amor.
Sim, evitarei, a todo custo, a cara de marido, a pijamização dos acomodados e não permitirei que os cupins da rotina destruam nossas portas e janelas.
Quero que sejas minha mulher, quero ser teu homem.
Que não penses tanto, que assustada digas sim. E pronto. Com um beijo, atenciosamente, XS
Escrito por Xico Sá às 09h27

Um comentário:

JACK BABY disse...

Adorei também... Ai que inveja, mas afinal é nada mais nada menos que Luiza Brunet.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...