22 de jun de 2011

Filmes para entender os homens

Eu gosto de ler o blog Fale com Ele no site da revista Marie Claire. Ele conta os babados masculinos de uma forma engraçada. Eu aproveito e leio direto, pois homem nunca fala nada.
Esse post ele diz "Quem são os pontinhos brilhantes, numa tela de cinema, que ditam o moral, os costumes e o romantismo do macho", além de Stallone e Clint, comentados em outro post. Trechinhos ótimos:

3) WOODY ALLEN: O Woody é um gigante de óculos. Conseguiu pintar, à perfeição, o que vai à cabeça masculina quando cortejamos uma moça. Mais ou menos assim:
Quando eu digo a você: – Oi, tudo bem?
Eu penso, na verdade: – Oi, vamos tomar um banho?
Quando eu digo a você: – Preciso de um tempo, mas o problema não é com você!
Eu penso, na verdade: – Te ligo um dia quando estiver na seca pra gente tomar um banho… 

5) SUPER-HERÓIS: nenhum homem sai igual do cinema depois de ver o Thor atirando um martelo, o Homem de Ferro vestindo um capacete, o Wolverine fatiando um arbusto, o Batman espancando um Coringa. Um homem, depois de ver isso tudo, fatalmente quererá martelar pregos, vestir um boné dourado. Ele vai fatiar um salame e dará umas botinadas num palhaço qualquer. Sim, moças, dentro de cada homem há um menino de chuteiras e com superpoderes. Se desse, a gente vestia a cueca por cima da calça e saía voando. Isso! Isso! Soa idiotíssimo, infantilíssimo pra vocês, eu sei, mas a verdade é que só um homem sabe o carinho que um filme de super-heróis faz com o nosso molequinho interior. 

6)MARLON BRANDO: O homem mais bonito do mundo morreu faz sete anos, gordo, sozinho, mergulhado em uma cachoeira de hambúrgueres e mostarda. Mas antes disso, ele inventou o macho ideal: a mistura da emoção e da bruteza. Um sujeito capaz de esculpir uma cadeira com os dentes e de orná-la com os melhores rococós, só pra, no momento seguinte, enfiar cadeira e rococós na fuça de outrem, numa briga de bar. Ah, sim! Homem! Muito homem! Assumo que fiquei em dúvida. Refleti se botava aqui o Humphrey Bogart, o segundo homem mais homem que existiu, dos filmes “Casablanca” e “O Falcão Maltês”. E me coçou um pouco a ideia de enfiar o Sean Penn. Mas fiz as contas, e o Marlon, além de amanteigar a poupança da Maria Schneider em Paris, de forrar as bochechas de todo mafioso aqui (http://www.youtube.com/watch?v=aBoVTbBdosw) e de cantar o “horror, o horror” do Conrad, e o oco da vida, do Eliot, aqui, o Marlon foi o pai do Super-homem, né?

Caraca,  "... Marlon, além de amanteigar a poupança da Maria Schneider em Paris,..." é muito bom!!!

3 comentários:

Yom disse...

Mais ou menos...o primeiro diálogo não é Woody Allen, mas "babaca genérico"...não aceito que falem dos meus ídolos com tamanha superficialidade...Super-Heróis, ok mais ou menos correto o que foi dito. A gente sente saudade dos tempos em que realmente acreditava nisto, mas nem por isto vamos sair por aí "martelando pregos"- mais uma vez este cara foi superficial. E usar o Marlon como referência de masculinidade? O cara que se dizia "trysexual"? Não...talvez, Cary Grant ou o Clint Eastwood...não sei...

Este é o problema atualmente, as pessoas querem "entender os homens" ou "entender as mulheres" como se todos fossem iguais - e rasos - e como se isto fosse possível...não, escolha uma pessoa de quem gosta e viva a missão impossível de tentar compreendê-la, aí este tipo de texto se tornará bullshit...

Yom disse...

Ah, falando em super-heróis fui ver x-men first class, mto legal!

Jujuba disse...

Não fui ver ainda... snif. Mas é engraçado!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...